ST-ANTONIO

Santo Antônio do Descoberto

Histórico

Em 1726, o mesmo Bartolomeu Bueno formou outra expedição para o Sertão dos Goiazes, e fundou o Arraial de Santana, às margens do Rio Vermelho, Vila Boa de Goiás. Vieram outras bandeiras para o sertão, lideradas pelos irmãos Lisboa. Na época, os escravos eram obrigados a trabalhar e atingir uma cota de ouro, e quando esta cota não era alcançada eles apanhavam.

Em 1725, 142 escravos de Antônio Pereira Lisboa voltavam de uma mineração mal sucedida quando decidiram sentar-se para descansar debaixo de uma árvore. A devoção a Santo Antônio surgiu quando um dos escravos viu uma imagem do santo de 50 centímetros em um tronco de árvore. Levou-a para seu patrão, que declarou dia de festa e que não haveria trabalho no garimpo. Foi construída uma igreja para o santo em 1728. Em 1757, chegou ao local José Pereira Lisboa, precedente da Bahia, que descobriu mais minas de ouro no Rio Descoberto.

O alferes proprietário das terras da região, Agostinho Lopes Conde, doou 1.500 hectares para que existisse uma capela para Santo Antônio. Mais tarde, doou 16 alqueires para que as pessoas retirassem o material para montar as barracas da festa de Santo Antônio, que teve início com a descoberta da imagem pelos escravos, e hoje se tornou uma grande romaria. A festa perdeu o brilho representado pelos carros de boi e cavalhadas.

O progresso e o desenvolvimento da cidade levaram ao desaparecimento dos antigos romeiros. Atualmente, a folia, que se estendia ao longo de 12 dias, se resume à véspera do dia 13 de junho. O povoado formado passou a chamar-se Santo Antônio de Montes Claros, então distrito de Luziânia. Sua emancipação aconteceu em 19 de maio de 1982, com a denominação de Santo Antônio do Descoberto, uma referência ao padroeiro e ao nome do rio que corta a cidade.

Santo Antônio está ligada à figura de Bartolomeu Bueno, o famoso Anhangüera II. Após os ofícios religiosos, a bandeira partiu de São Paulo em 3 de julho de 1722. A bandeira era composta por 152 pessoas, dentre elas escravos, padres e jesuítas, sendo o capitão das minas de ouro João Leite da Silva Ortis e o guia bandeirante Urbano do Couto Menezes. A comitiva fundou na região o garimpo Montes Claros, devido ao reflexo que batia no morro ao nascer do sol.

O rio que corria por ali chamava-se Despertado, mas depois Histórias de Sucesso da descoberta do ouro na região passou a chamar Rio Descoberto. O nome Santo Antônio é uma homenagem a Antônio Pereira Lisboa, bandeirante. Bartolomeu Bueno, depois de vagar três anos pela região, voltava para São Paulo para reivindicar o título de capitão-mor, tendo o comando da região. Para provar a descoberta do minério, exemplares de ouro achado na região foram apresentados ao governador Serra de Menezes, provenientes de outras minas encontradas pelos bandeirantes.

Gentílico: descobertense

Distrito criado com a denominação de Santo Antônio do Descoberto, pela lei municipal nº 493, de 20-01-1964, subordinado ao município de Luziânia.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o distrito figura no município de Luziânia.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-1-1979.

Elevado à categoria de município com a denominação de Santo Antônio do Descoberto, pela lei estadual nº 9167, de 14-05-1982, desmembrado de Luziânia. Sede no antigo distrito de Santo Antônio do Descoberto. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-02-1983.

Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Síntese das Informações

Área da unidade territorial – 2015 944,145 km²
Estabelecimentos de Saúde SUS 22 estabelecimentos
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – 2010 (IDHM 2010) 0,665  
Matrícula – Ensino fundamental – 2015 11.683 matrículas
Matrícula – Ensino médio – 2015 2.301 matrículas
Número de unidades locais 545 unidades
Pessoal ocupado total 5.255 pessoas
PIB per capita a preços correntes – 2013 7.236,37 reais
População residente 63.248 pessoas
População residente – Homens 31.371 pessoas
População residente – Mulheres 31.877 pessoas
População residente alfabetizada 51.018 pessoas
População residente que frequentava creche ou escola 22.692 pessoas
População residente, religião católica apostólica romana 35.308 pessoas
População residente, religião espírita 1.067 pessoas
População residente, religião evangélicas 17.899 pessoas
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes – Rural 382,50 reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes – Urbana 354,40 reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio – Rural 1.762,30 reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio – Urbana 1.598,18 reais

Fonte: IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Informações atualizadas em setembro/2016