Desativação do lixão da Estrutural será ‘progressiva’, diz GDF

By 8 de setembro de 2016Destaque, Notícias
catador

Catador no lixão da Estrutural, que existe desde a década de 60 e fica a 15 quilômetros do Palácio do Planalto (Foto: Paula Fróes/BBC)

 

O aterro sanitário de Samambaia deve ser inaugurado no final de outubro, de acordo com previsões do SLU divulgadas nesta terça-feira (6). Durante vistoria às obras, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, considerou p fechamento do lixão da Estrutural um “salto civilizatório”.

Ao custo de R$ 82 milhões, as obras de implantação e operação do aterro são executadas há cinco anos e devem ser concluídas ainda neste semestre, segundo o GDF. Outros R$ 30,9 milhões foram investidos na infraestrutura, que estão com 75% das atividades concluídas.

De acordo com o governo, o aterro deve funcionar por 13 anos, a partir do início das atividades, e receber uma média diária de 2,7 mil toneladas de rejeitos. O novo destinopara o lixo do DF fica na DF-180, próximo a Samambaia.

Inicialmente, moradores de áreas próximas ao aterro rejeitaram a construção do espaço. Durante as audiências públicas, a comunidade reivindicou “compensações” como a construção de um centro de saúde, de esgotamento sanitário e a conclusão de obras do terminal rodoviário de Samambaia.

Segundo a diretora-presidente do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU), Kátia Campos, a transferência das operações para o aterro será gradual.

“A previsão de construção dos centros de triagem até 2018 está mantida e, ainda neste semestre, começaremos a trazer os primeiros rejeitos. Vai ser uma transição gradual porque ainda falta concluir a construção das centrais dos catadores.”

Fonte: Jornal Floripa